Ginger Baker
English: Ginger Baker

Gnome globe current event.svg
Este artigo ou seção é sobre alguém que morreu recentemente. A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis. (editado pela última vez em 7 de outubro de 2019)Twemoji 1f464.svg
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser acadêmico)
Ginger Baker
Baker em 1997
Informação geral
Nome completoPeter Edward Baker
Também conhecido(a) comoGinger
Nascimento19 de agosto de 1939
Local de nascimentoLewisham, Londres, Inglaterra
Reino Unido
Morte6 de outubro de 2019 (80 anos)
Gênero(s)Rock, blues, jazz, afrobeat
Instrumento(s)Bateria, percussão
Período em atividade1958-2019
Outras ocupaçõesProdutor, arranjador, compositor, cantor
Gravadora(s)Polydor, Warner Bros., Island, Universal Music
Afiliação(ões)Blues Incorporated, Ginger Baker and Friends, John Mayall's Bluesbreakers, Cream, Blind Faith, Baker Gurvitz Army, Ginger Baker's Air Force, Hawkwind, Public Image Limited, Atomic Rooster, Masters of Reality, Ginger Baker Trio, BBM, Fela Kuti
Página oficialginger-baker.com

Peter Edward "Ginger" Baker (19 de agosto de 1939, Lewisham, Londres - 6 de outubro de 2019) foi um baterista inglês que se tornou famoso como integrante do Cream, de 1966 a 1968, com Jack Bruce e Eric Clapton, e mais tarde fazendo parte do grupo Blind Faith. No começo dos anos 70, Baker viajou em turnê e gravou com sua própria banda, Ginger Baker's Airforce.

O modo de Ginger tocar bateria chamou atenção por sua virtuosidade, técnica e o uso de tímpanos e outros instrumentos de percussão nunca antes usados no rock. Além disso, ele teve bastante experiência se apresentando com bandas de jazz inglesas durante o final dos anos 50 e começo dos 60, estabelecendo um novo patamar de profissionalismo entre os percussionistas de rock. E, ainda bem jovem, foi apresentado a gravações autênticas de tambores africanos, pelo baterista de jazz britânico Phil Seaman, de quem se tornou grande amigo. Ginger Baker já era muito conhecido pelos músicos londrinos, pelo menos desde a época em que tocava no grupo de R&B The Graham Bond Organisation (entre 1963 e 1966), ao lado de Graham Bond, Jack Bruce, Dick Heckstall-Smith e John McLaughlin. Baker também apresentava longos solos improvisados (como em "Toad", que inspirou John Bonham a compor "Moby Dick") em sua bateria repleta de tambores e outros instrumentos de percussão. Inspirado pelo baterista de jazz Louie Bellson, foi um dos primeiros músicos a usar dois bumbos, e teria influenciado Keith Moon a fazê-lo naquele momento da história.

A partir de 1966, Ginger lançou diversos álbuns e viajou em turnê com inúmeros astros do jazz, da música clássica e do rock. Em 1971, saiu numa aventura ousada em que atravessou o Deserto do Saara em sua Range Rover adaptada e foi morar em Lagos, capital da Nigéria, onde morou por alguns 5 anos, encontrou o músico Fela Kuti, montou o primeiro estúdio de 16 canais do país, recebeu Paul McCartney e chegou a gravar com ele. Desse período, destaca-se o seu disco com o Fela Ransome-Kuti and The Africa '70 (1971). Além das bandas com seu nome, como Ginger Baker's Air Force (1969-1970), Baker Gurvitz Army (1975-1976) e Ginger Baker's Energy (1976), Ginger também foi integrante dos grupos Hawkwind (1980), Atomic Rooster (1980), Public Image Ltd (1986) e Masters of Reality (1990) e Denver Jazz Quintet-to-Octet (DJQ2O).

Em 2012, o diretor Jay Bulger lançou o documentário Beware of Mr. Baker (não lançado no Brasil), onde mostra a importância que Ginger teve pra bateria moderna e para o advento do rock pesado, desde 1963, com The Graham Bond Organisation, além de sua vida intensa e conturbada.

Ginger Baker morreu em 6 de outubro, aos 80 anos de idade.[1] A causa da morte não foi revelada pela família.[2]

Discografia

  • Horses and Trees (1986)
  • Middle Passage (1990)
  • Going Back Home (1994)
  • Coward of the County (1999)

Referências